EnglishFrenchPortugueseSpanish
EnglishFrenchPortugueseSpanish

Palestra destaca a importância da agenda A3P

14 de setembro de 2009 - 03:00

Evento realizado na CGE, organizado pelo Conpam, objetivou conscientizar gestores e demais servidores sobre a necessidade de se criar uma consciência ambiental no dia a dia de trabalho

Foi realizada na última terça-feira (08/09), na sala de reuniões da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE), uma palestra de sensibilização sobre a Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), proferida pelo técnico do Conselho de Políticas e Gestão do Meio-Ambiente (Conpam), Severo Barbosa. O objetivo principal foi conscientizar gestores e demais funcionários do órgão sobre a necessidade de se criar uma consciência ambiental no dia a dia de trabalho. Ele ressaltou que é preciso que as pessoas desenvolvam o princípio da economicidade e eficiência, uma vez que a administração pública é uma grande consumidora/usuária dos recursos naturais.

Disse ainda que os órgãos que compõem a estrutura organizacional do Estado do Ceará têm um papel indutor de mudança e adoção de novos padrões de produção, devendo por esse motivo promover o crescimento sustentável, sendo ainda um exemplo da redução de impactos sócio-ambientais. Severo explicou que agenda quer dizer compromisso, portanto é preciso haver a assinatura do termo de adesão, a criação e regulamentação da comissão da A3P, o diagnóstico situacional, o planejamento integrado, a definição de projetos e atividades, a implantação das ações, a avaliação e o monitoramento da A3P, bem como a melhoria contínua.

E lembrou que é muito importante que as pessoas se conscientizem de que o caráter da comissão da A3P não é fiscalizador, mas sim facilitador e colaborador, para uma melhor qualidade de serviço a todos. Dentre os eixos temáticos da agenda foram destacados: o uso racional dos recursos naturais e bens públicos; a sensibilização e capacitação dos servidores; a gestão adequada dos resíduos gerados (reciclagem); a qualidade de vida no ambiente de trabalho e as licitações sustentáveis.  “É preciso lembrar, ainda, dos cinco erres: repensar (mudança de consciência em nossas ações diárias); recusar (produtos que possam vir a causar danos ao meio-ambiente); reduzir o consumo de recursos naturais (como luz e papel, por exemplo); reutilizar sempre que possível, e finalmente reciclar (para evitar a retirada de matérias-primas da natureza). Desta forma poderemos melhorar as condições de vida em nosso ambiente de trabalho e também de nosso planeta”, afirmou Severo Barbosa.