EnglishFrenchPortugueseSpanish
EnglishFrenchPortugueseSpanish

Técnicos de Mato Grosso apresentam sistema de gestão de convênios

22 de setembro de 2010 - 03:00

Visita técnica apresentou à gestão superior da CGE e técnicos da Caest o software de gestão de convênios.

Paulo e Wellington apresentaram à equipe da CGE o novo software que foi desenvolvido em Mato Grosso

Os técnicos da Secretaria de Planejamento (Seplan) do Estado de Mato Grosso, Paulo Fernandes Rodrigues e Wellington Mesquita, estiveram  esta semana na Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado (CGE), realizando uma visita técnica a fim de apresentar à 
gestão superior da CGE e aos técnicos da Coordenadoria de Ações Estratégicas (Caest) o software de  gestão de convênios que desenvolveram, e que tem presentado excelentes resultados naquela unidade da região Centro Oeste do Brasil. O objetivo é avaliar a possibilidade do mesmo ser utilizado  no Ceará. O Sistema de Gerenciamento de Convênios (Sigcon) entrou em operação no ano de 2005 e, num período de cinco anos, foram avaliados cerca de 8 mil convênios, representando recursos da ordem de R$ 2 bilhões, geridos através dele.
De acordo com Paulo Fernandes, o sistema permite que se tenha em um único ambiente na WEB, todas as transferências voluntárias (convênios) firmadas entre o Governo do Estado e as prefeituras ou entidades sem fins lucrativos. O Sigcon também realiza o controle da habilitação dos convenentes, execução de projetos e preparação de  contas. Mostra, inclusive, se o órgão ou entidade que pretende receber alguma transferência voluntária está em situação de inadimplência, ou não. “Se o futuro convenente estiver inscrito na dívida ativa com o Estado, o próprio sistema pára e não permite que o processo de convênio tenha continuidade” explicou.
Os técnicos da Seplan de Mato Grosso ressaltaram, ainda, que se os interessados em receber as transferências do Estado estiverem em dívida com o FGTS, INSS, ou não prestaram contas de convênios anteriores, o sistema também impede o novo processo. E o Sigcon também possibilita realizar uma avaliação dos recursos transferidos pela União aos Estados, através de convênios. “Tivemos essas reuniões técnicas para repassar ao pessoal da área de negócios e da tecnologia da informação da CGE a linguagem de programação, regras de negócios, banco de dados e outras informações para verificar se o Sigcon pode ser implantado no Ceará. A receptividade da equipe foi boa e acreditamos que, em breve, nosso sistema possa ser utilizado aqui também”, destacou Paulo Fernandes.